sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Será que devo me separar???

Esses dias fui pregar num encontro e ao final uma mulher veio falar comigo.
Ela me contou da triste situação que estava enfrentando e me fez uma pergunta: SERÁ QUE DEVO ME DIVORCIAR DELE???

Confesso que na hora fiz uma cara de espanto... pois não pensei que essa dúvida pairasse na cabeça dela.
Mas eu sei que como ela, muitas mulheres de Deus pensam em divórcio. E quero te pedir algo: PARE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Essa possibilidade não pode existir em nossos corações, pensamentos e atos.
Hoje é comum, muitos casam e pensam: se não der certo, separo. Outros falam: é melhor morar um tempo junto antes de casar para não passar pelo divórcio, caso não dê certo. Ou então: ninguém casa pensando em separar... mas é melhor separar do que insistir em algo que não tem jeito.
E com isso fazem do casamento algo descartável.

Precisamos voltar a olhar para o sacramento do matrimônio com a radicalidade de Jesus:
"Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher; e os dois formarão uma só carne. (Mt 19,5)"
UMA SÓ CARNE!
Você se separa de si mesmo? Então como pode vir me falar de divórcio?! (Essa foi minha resposta para aquela mulher!)

O mundo moderno não gosta muito de falar na radicalidade dessa opção (o casamento), pois é um mundo que vive de experiências superficiais e transitórias. Acontece que o amor humano não tolera ensaio. Exige o dom total e definitivo das pessoas entre si.
O mundo precisa descobrir a verdade de que toda opção supõe e exige uma exclusão, por mais dolorosa que seja essa radicalidade. Não dá mais para ficar brincando de amor.
O amor responsável ensina que a liberdade pessoal morre no exato momento em que fazemos uma opção. Ninguém é obrigado a optar por essa ou aquela vocação. Cada um é livre até optar. A opção gera vínculo de responsabilidade. Jesus deixou isso muito claro quando fala que, pelo matrimônio, dois formam um. Duas pessoas formam uma personalidade: o casal.
O que Deus une, nada e nem ninguém têm o poder de separar. O matrimônio precisa ser compreendido como uma viagem sem volta.*

Jesus deixou isso bem claro. A Igreja para se manter fiel ao Evangelho não tem outra opção a não ser viver e ensinar essa radicalidade. Felicidade é consequência de fidelidade.*

Muitos esperavam que o Papa Francisco no sínodo dos bispos em outubro de 2015 fosse amenizar a questão divórcio, e ficaram surpresos que logo na primeira Missa ele defendeu a indissolubilidade do casamento, condenou o divórcio e reiterou que a família é composta por um homem e uma mulher.
Foi um choque para os relativistas.

Mas a Igreja não é livre para viver nem para ensinar o contrário do que o Evangelho prega, por mais radical que seja.*

Para se viver essa radicalidade é fundamental ter sempre presente o carater sagrado do matrimônio. O mundo moderno perdeu a dimensão do sagrado. Tudo é relativo, superficial, humano, terrenal. Esse é o primeiro grande pecado que se comete contra o matrimônio. Quando se humaniza no sentido carnal, perde-se o valor divino do matrimônio.
Claro que também aqui percebemos, claramente, uma ação encardida de satanás. Quanto menos o ser humano compreender o matrimônio em sua dimensão divina, tanto mais fácil será o fim de um relacionamento. Quando faltam motivos espirituais, dificilmente se tem a possibilidade de superar obstáculos humanamente naturais que surgem em todo relacionamento.*

Não é fácil lutar pela sua família, mas comece tirando da sua cabeça a possibilidade de separação, pois para nós essa possibilidade não existe!
E para você que ainda não se casou uma dica: case com um homem que entenda e viva essa radicalidade do sacramento do matrimônio. Pois quando a tempestade chegar sairão juntos dela.

Não sei qual a dificuldade que você enfrenta, não sei quantas vezes já pensou em divórcio, mas chega! É hora de se levantar e passar a pensar em restauração. Pois é isso que o Senhor quer e Ele mesmo está pronto para te ajudar!

“O que Deus uniu, que o homem não separe. Essa é uma exortação para os crentes para que superem qualquer forma de individualismo e legalismo que esconde um egoísmo e um medo de aceitar o verdadeiro significado do casal e da sexualidade humana no plano de Deus.”(Papa Francisco, sínodo dos Bispos outubro de 2015)

Paz e bem...




Curta nossa página: https://www.facebook.com/BlogParaPrincesas/
Se inscreva em nosso canal: https://www.youtube.com/user/blogparaprincesas
Meu instagram: https://www.instagram.com/fabiana_meloribeiro/



* trechos tirados do livro "Famílias restauradas" do Padre Léo

sábado, 2 de janeiro de 2016

Testemunho de um casamento em Cristo

TESTEMUNHO DE UM CASAMENTO EM CRISTO:

Partilhando um pouco...
No meu casamento decidimos que não teria bebida alcoólica e só tocaria musica católica, fomos muito criticados, chegaram até a dizer que se não tivessem bebida não iriam, e respondemos que se a bebida fosse mais importante do que nós, esse vinculo realmente não valeria nada.
Chegou o grande dia recebemos o Sacramento e depois o momento da festa. Resultado:
Um amigo meu do serviço, (anti-cristo) foi na Missa e na festa e disse que nunca tinha ido num lugar em que todos estavam felizes sem bebida.
E uma Tia da minha esposa disse que tínhamos proporcionado para ela um momento único aonde sem bebida o marido dela tinha se divertido e nos agradeceu muito.

Pra você que ler esse testemunho e está na dúvida de como agir... Tem uma Palavra que diz assim :Não te envergonhes, portanto, do testemunho de nosso Senhor. (II Tim I,VIII)
No versículo XII: Mas não me queixo, não. Sei em quem pus minha confiança, e estou certo de que é assaz poderoso para guardar meu depósito até aquele dia.


Guilherme Matias e Thais Jacobsen

Algumas foto do casamento:








FOTO ATUAL DESSA LINDA FAMÍLIA ABENÇOADA:


Eles fazem parte de uma comunidade chamada Revestidos da força do alto:
Facebook da comunidade: clique aqui
Facebook da Thais Jacobsen: https://www.facebook.com/thajacobsen



OBRIGADA GUILHERME E THAIS POR COMPARTILHAR UM POUCO DO TESTEMUNHO DE VOCÊS!

Paz e bem...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...