domingo, 18 de março de 2012

Eu também preciso paquerar!


Sempre nos acostumamos a ouvir que: “Deus mandará o que é melhor para mim”. Sim, eu concordo em numero, grau e gênero. Mas não fique pensando que seu príncipe baterá na porta da sua casa dizendo: “Oi, prazer! Sou aquele que você tanto pede em oração!”. Quem dera fosse assim tão fácil.

Com o passar do tempo habituamos a mistificar todas as coisas de nossas vidas, mas vamos nos deter aos relacionamentos amorosos.

Colocamos nossa listinha de prioridades e características nas mãos de Deus e esquecemos de fazer nossa parte. A nossa parte consiste em observar as pessoas que entram em nossas vidas, dentre elas está seu príncipe, basta você encontrar.

Assim que você identificar um príncipe em potencial na sua vida é preciso “paquerar”. Paquerar não é pecado, desde que seja uma paquera saudável.

A paquera saudável é aquela onde tudo acontece naturalmente. Você está conversando com um grupo de amigos e do nada, surge uma pessoa agradável! No primeiro momento você passa a dar uma atenção especial à pessoa. A conversa flui...  E como você está "disponível", esperando no Senhor alguém para amar, acaba gostando da história.

É o momento para conversar, conhecer o outro, colidir afinidades, saber seus desejos e objetivos. Mas sempre de uma maneira prudente, pura e sem malícia. Dar a conhecer  uma nova amizade, sem a preocupação de um envolvimento físico. Assim, depois de muita observação de valores, talvez possa se chegar à conclusão sobre se "vale ou não à pena" investir em tal pessoa e se há retorno por parte dela.

Podemos dizer que a paquera é a "ante-sala" de um namoro. Este primeiro momento é decisivo, para continuar ou não com a idéia. Algumas vezes, acontece do outro nem perceber que foi alvo de suas intenções. Numa pequena troca de idéias, você já percebe que não daria certo, um namoro entre vocês. Alguns dizem: "Não deu liga!", "Não virou!" ou então "Não houve empatia!"

Você  também pode se surpreender. A cada minuto que o papo se estica, o entusiasmo cresce.

Já dizia o poeta: "a maior covardia de um homem, é despertar o amor de uma mulher, sem a intenção de amá-la." Esta frase é valida para as mulheres também. Portanto, todo cuidado é pouco.

O essencial nos contatos e relacionamentos é desenvolver uma amizade sadia. Buscar conhecer o outro sem malícia e "segundas intenções". Aí sim, valerá a pena! Grandes amizades podem surgir de uma paquera, que talvez nem venha a se tornar um namoro!

O maior desafio é saberem lidar com os seus sentimentos e tomar cuidado para não desordenar os sentimentos alheio. Devemos "entrar e sair" da paquera, como pessoas APROVADAS POR DEUS!




Obs.: Artigo escrito por: Frank

8 comentários:

  1. muito bom!!! Gosto muito dos artigos do Frank!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, que bom que gosta dos meus artigos, espero que eles tenham te ensinado algo.

      Excluir
  2. Muito bom este texto FRANK, ao tratar a importância que se tem uma paquera antes do namoro. Sendo que ela muitas vezes leva ao conhecer o outro, e a um namoro Santo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso! A paquera saudável é a primeira etapa de um namoro santo!

      Excluir
  3. Muito bom, isso só nos fortalece com princesas do Senhor!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém princesa, que Deus te fortaleça sempre, cada dia mais...

      Excluir
  4. Concordo com isso, porém, tenho 23 anos, mas ainda sou daquelas meninas "antigas" que pensa que o rapaz é que deve sempre tomar a iniciativa de conversar, etc. Acredito que não seja errado isso ou é?


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá princesa! Concordo com você, a iniciativa sempre deve partir do principe. Contudo acredito que se você der "sinais", "pistas" da sua "disposição", facilitará o principe a iniciar a conversa...

      Excluir

Obrigada por deixar seu comentário, ele é muito importante pra nós! ;)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...